Violência emocional, física e sexual contra alunas de graduação de uma Instituição de Ensino Superior brasileira

Maria Tereza Campos Vidigal, Juliana Vieira Magrin, Ademir Franco, Lilian Rigo, Vinicius Henrique Ferreira Pereira de Oliveira, Luiz Renato Paranhos

Resumo


A violência contra a mulher é um tema de grande relevância no mundo contemporâneo. Na universidade, a maioria dos cursos está estruturada em sistemas hierárquicos, nos quais alunos tornam-se potencialmente vulneráveis à violência emocional, física e sexual. Este estudo teve como objetivo descrever a prevalência e os fatores associados à ocorrência de atos violentos contra estudantes do sexo feminino em cursos de graduação de odontologia, medicina e psicologia em uma Instituição de Ensino Superior (IES) brasileira. Um questionário foi utilizado para investigação de casos de violência no local de trabalho e disponibilizado numa plataforma digital (Google Forms™). A amostra final do estudo foi composta por 241 alunos. Relatos de violência geral atingiram uma taxa de prevalência de 45,2%. Em particular, violências emocionais atingiram 78,9% dos casos, enquanto a violência física e sexual atingiu 4,6% e 8,3%, respectivamente. Entre os infratores identificados, professores foram mais prevalentes (18,4%). As taxas mais elevadas de violência associaram-se a características como idade (26-30 anos) e o curso de graduação da vítima (odontologia). Estratégias preventivas institucionais devem ser projetadas para proteger as mulheres em seus estudos / local de trabalho a fim de garantir uma rotina segura de atividades acadêmicas.


Texto completo:

Violência emocional

Apontamentos

  • Não há apontamentos.