Efeito da base de ionomero de vidro e resinas aplicáveis bulk fill em tensões de contração em molares ativadas endodonticamente

Victor Santos Demuro, Rodrigo José Moreira, T. C. Garcia-Silva, Renata Afonso da Silva Pereira, Antonius Versluis, Carlos José Soares

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da base de ionômero de vidro e de diferentes protocolos de restauração de dentes tratados endodonticamente nas tensões de contração na estrutura remanescente. Uma contração pós-gel de CPg dos materiais foi avaliada por meio de extensibilidade (n = 10) para todos os materiais: 2 componentes compostos: TPH3, TPH3 Spectrum, Dentsply; Z350, Filtek Z350 XT, 3M-ESPE; 2 compósitos “bulk fill”: SDR, Surefill SDR, Dentsply; POST, Filtek Bulk Fill Posterior 3M-ESPE, e um ionomero de vidro modificado por resina: VIT, Vitremer, 3M-ESPE. Os dados foram analisados por ANOVA e Tukey (? = 0,05). Modelos de elementos limi que não foram criados por software (Mentat, MSC) do primeiro molar inferior com cavidade classe II tratado endodonticamente simulando diferentes protocolos de restauração: TPH3 incremental; Z350 incremental; SDR e Filtek Posterior bulk fill, com e sem base de ionômero. Uma análise de pensões de contração foi calculada (MARC, MSC) e analisada pelo critério de Mises modificado. Como tensões de controle geradas por ordem decrescente: Z350> POST> TPH> SDR. Como tensões geradas pelo CPG em técnicas incrementais com base no VIT - ordem decrescente: POST> Z350> SDR> TPH. A utilização da base de ionizador de vidro diminuiu os valores de contração das resinas compostas, embora para SDR não tenha apresentado diferença. O uso de base de ionômero de vidro no protocolo restaurador de dentes endodonticamente com intuito de diminuir possíveis efeitos nas tensões residuais nas cúspides. Apoio: CAPES / FAPEMIG / CNPq.


Texto completo:

Efeito da base de ionomero

Apontamentos

  • Não há apontamentos.