Influência da oxigenação hiperbárica no reparo do osso submetido à radiação ionizante

Danyella Carolyna Soares dos Reis, Luiz Henrique Ferreira Júnior, Layra Gabriella Pereira de Rezende, Letícia de Souza Castro Filice, Paula Dechichi, Flaviana Soares Rocha

Resumo


A oxigenação hiperbárica (OH) tem apresentado resultados promissores no reparo ósseo com estimulação da osteogênese e angiogênese. Este estudo avaliou a influência da oxigenação hiperbárica no reparo do osso irradiado, por meio de parâmetros histológicos, histomorfométricos e densitometria óssea. Foram utilizados fêmures de 20 ratos machos, distribuídos aleatoriamente em quatro grupos: Controle, Radioterapia, OH e Radioterapia com OH. A radioterapia foi aplicada aos fêmures esquerdos de todos os animais, após 30 dias, foram confeccionados defeitos ósseos em ambos os fêmures. As sessões de oxigenação hiperbárica iniciaram após o procedimento cirúrgico.  Os períodos de sacrifício foram 5 ou 7 dias após procedimento cirúrgico. Após a remoção e fixação dos fêmures, foi realizada a tomografia computadorizada para densitometria. Para a histomorfometria, foram quantificados elementos de interesse nas lâminas coradas em HE usando o programa Image-Pro Plus Version 4.5. A neoformação óssea foi quantificada nas lâminas coradas em Tricrômio de Mallory, no programa HL Image 2005. Os dados foram analisados com os testes Kolmogorov-Smirnov, teste t não pareado e ANOVA com correção de Bonferroni. Os resultados indicaram que a OH favorece o reparo ósseo. Entretanto, neste modelo experimental, a OH não compensou os prejuízos causados por altas doses de radiação ionizante no osso.


Texto completo:

Influência da oxigenação

Apontamentos

  • Não há apontamentos.