Analisar a resistência a fratura de restaurações diretas de resinas compostas com a técnica incremental associada a base de ionômero de vidro e com resinas bulk fill

Lucas Bassani Barbieri, Renata Afonso da Silva Pereira, Aline Aredes Bicalho, Luciana Mendes Barcelos, Laís Rani Sales Oliveira, Carlos José Soares

Resumo


Objetivos: Analisar a resistência a fratura de restaurações diretas de resinas compostas construída com a técnica incremental associada a base de ionômero de vidro e com resinas bulk fil. Métodos: Quarenta molares intactos receberam preparação padronizada da cavidade MOD, foram tratados endodonticamente e divididos aleatoriamente em 4 técnicas de preenchimento (n = 10): duas resinas compostas convencionais (Filtek Z350XT, 3M ESPE; TPH Spectrum, Dentsply) associadas ao vidro modificado por resina cimento de ionômero(Vitremer ( IOV) , 3M ESPE) para preenchimento de câmara pulpar; e duas resinas compostas para preenchimento único:  de baixa viscosidade (fluxo Surefill SDR, Dentsply) associado ao TPH3 Spectrum; e de alta viscosidade (Filtek Bulk Fill Posterior, 3M ESPE).Foi realizado ciclagem mecânica e ensaio compressão axial - resistência à fratura e deformação de cúspide durante o carregamento oclusal (0 a 100N) e na fratura. Os dados foram analisados por ANOVA one-way e teste de Tukey. O modo de fratura foi analisado pelo teste Qui-quadrado. Resultados: não foi encontrada diferença significativa entre os grupos para resistência à fratura e modo de fratura. Conclusões: A Resistencia a fratura não foi influenciada pela técnica e pelo tipo de resina (convencional,bulk de baixa e alta viscosidade).

Palavras-chave: Resina composta, bulk-fill, ionômero de vidro, propriedades mecânicas, , molar tratado endodonticamente.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.