Erupção ectópica dos primeiros molares permanentes: Revisão da literatura

Ana Carolina Lima Melo, Marília Rodrigues Moreira, Camilla Moreira Borges, Natália Nagode Castro de Nascimento, Thiago de Amorim Carvalho, Fabrício Campos Machado

Resumo


Um desvio da trajeto?ria de erupc?a?o padra?o da dentic?a?o e? denominado erupc?a?o ecto?pica. A prevale?ncia de crianc?as que sa?o afetadas pela erupc?a?o ecto?pica dos primeiros molares permanentes varia de 2 a 6%. Esse distu?rbio tem etiologia multifatorial. A erupc?a?o ecto?pica abordada nesse estudo se caracteriza por desvio de erupc?a?o dos primeiros molares permanentes para a mesial ocorrendo assim um bloqueio na erupc?a?o devido ao contato i?ntimo com os segundos molares deci?duos, os quais podem ser comprometidos se na?o houver um diagno?stico precoce e intervenc?a?o. O diagno?stico pode ser feito atrave?s de algumas observac?o?es cli?nicas como o atraso uni ou bilateral da emerge?ncia completa de um primeiro molar permanente ou ate? mesmo o aparecimento das cu?spides distais ao inve?s das cu?spides mesiais primeiramente na arcada. Para ser confirmado e? necessa?rio um exame radiogra?fico, sendo esse exame complementar realizado durante o primeiro peri?odo transito?rio da dentadura mista para possibilitar um diagno?stico precoce de uma possi?vel impacc?a?o. Um acompanhamento radiogra?fico determinara? se a erupc?a?o ecto?pica pode ser classificada como reversi?vel ou irreversi?vel. De acordo com o problema instalado o profissional devera? indicar ou na?o o tratamento ortodo?ntico/ortope?dico, dependendo do grau de severidade.

Palavras-chave: primeiro molar permanente; erupc?a?o ecto?pica; ortodontia

 


Texto completo:

Erupção ectópica

Apontamentos

  • Não há apontamentos.