Primeiro pré-molar superior com três canais: diagnóstico e tratamento: Relato de caso

Nathalia Santos Vilela, Mylla Christie Oliveira Cardoso, Bruna Alves Lima, Daiane Nogueira, Rodrigo Antônio de Faria, Renata Pereira Georjutti

Resumo


Um primeiro pré-molar superior típico é constituído por duas raízes. No entanto, é essencial estar atento à possível existência de três canais, embora seja muito rara.  Na literatura são reportadas variações de porcentagem entre 1,2% e 5%. Para um tratamento endodôntico bem-sucedido nesses tipos de dentes, é necessário um correto diagnóstico baseado no conhecimento das diferentes variações anatômicas possíveis associado a uma correta análise radiográfica. A identificação da morfologia interna, tão precisa quanto possível, deve ser realizada recorrendo às radiografias pré-operatórias. Para minimizar a deficiente visualização bidimensional de uma estrutura tridimensional, devem ser realizadas radiografias com diferentes angulações tanto no plano horizontal como vertical. O sucesso depende da identificação, da localização e da correta realização das etapas do tratamento. A proposta deste trabalho é apresentar um relato de caso clínico da variação anatômica de um pré-molar superior com três canais, demonstrando assim o tratamento e as dificuldades encontradas na terapia endodôntica dessas variações anatômicas. Com este trabalho conclui-se que os pré-molares superiores, quando apresentam variações anatômicas (prevalência de três canais), tornam o tratamento endodôntico mais complexo. Sendo necessário um conhecimento aprofundado por parte do profissional sobre anatomia, para a modificação da abertura coronária. A presença de exames de tomada radiográfica de alta resolução, auxiliares de ampliação complementados com uma boa iluminação, tornam o tratamento deste tipo de anatomias menos comuns em tratamentos previsíveis e com bom prognóstico.

 


Texto completo:

Primeiro pré-molar

Apontamentos

  • Não há apontamentos.