Comparação in vitro do efeito de bebidas ácidas no desenvolvimento da erosão dental: Análise por microscopia eletrônica de varredura

Larissa Martins Leal, Renata Megda Paes Leme, Rodrigo Antônio de Faria, Juliana Bisinotto Gomes, José Daniel Biasoli de Melo, Letícia de Souza Castro Filice

Resumo


As doenças bucais mais prevalentes são a cárie, a doença periodontal e o desgaste dental. O consumo de bebidas ácidas ao tornar o pH ácido é uma das principais causas do desgaste dental pela erosão do tecido mineralizado dentário, levando a conseqüências como sensibilidade, dor e má aparência. Este trabalho teve como objetivo estudar a influência de algumas bebidas, tais como refrigerante de lima?o (Soda limonada®), do suco a? base de soja sabor laranja (Ades®), da bebida isoto?nica sabor tangerina (Gatorade®) e do refrigerante de Cola (Coca-cola®). Para a pesquisa foram utilizados dentes humanos livre de trincas/fratura, separados aleatoriamente em cinco grupos, aferindo o pH das bebidas utilizando um pH-metro, imediatamente após a abertura de cada frasco de bebida. Os ciclos de imersão foram realizados sob agitação, durante cinco minutos, três vezes ao dia, com intervalos de quatro horas, durante 30 dias. Todas as coroas dos dentes submetidos ao protocolo foram observadas por microscopia eletrônica de varredura, após análise concluiu-se que as quatro bebidas avaliadas apresentaram potencial erosivo, sendo que o refrigerante à base de cola alterou o esmalte de forma mais intensa seguido pelo refrigerante de limão, bebida isotônica e suco à base de soja.

 


Apontamentos

  • Não há apontamentos.