Laserterapia de Baixa Potência como método preventivo de Mucosite Oral induzida por Radioterapia de cabeça e pescoço

Wyllyan de Araújo Braz Mahon, Ana Clara Naves Diniz Vieira, Marilia Ferreira Andrade

Resumo


Mucosite oral é definida como uma condição inflamatória da mucosa bucal e orofaringe induzida por citotoxicidade à quimioterapia ou radioterapia. As vias de sinalização que levam à mucosite são as mesmas seja o evento iniciador quimioterapia, radioterapia ou quimio e radioterapia combinadas. Mucosite em pacientes em tratamento para canceres de cabeça e pescoço é uma necessidade clínica substantiva ainda não suprida.  A mucosite oral radioinduzida clinicamente são lesões que tendem a estar concentradas no campo de irradiação. Aproximadamente 60% dos pacientes recendo radioterapia desenvolvem mucosite oral e estudos apontam uma taxa de hospitalização devida a mucosite oral de 16%, sendo que a interrupção no tratamento ocorre em 11% dos casos. Radioterapia convencional 2D ou 3D têm maiores índices de mucosite severa do que pacientes recebendo IMRT. A laserterapia de baixa potência como tratamento para mucosite oral, atua na indução do metabolismo celular melhorando a atividade mitocondrial e acelerando o ¨turnover¨ celular, induzindo cicatrização e diminuindo a inflamação. Muitos trabalhos apontam a laserterapia como método preventivo de mucosite. Esse trabalho apresenta uma revisão de literatura a respeito do uso profilático da laserterapia de baixa potência para prevenção de mucosite oral radioinduzida em pacientes de câncer de cabeça e pescoço.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.