Alterações estruturais e morfológicas em linfonodos cervicais de pacientes com CEC oral e o que elas indicam, enquanto fator preditivo de metástase ou prognóstico

Diogo Henrique Rabelo, Marília Ferreira Andrade

Resumo


O carcinoma espinocelular (CEC) é a neoplasia mais comum e compreende aproximadamente 80% dos cânceres da cavidade oral e, apesar do tratamento ideal, o prognóstico ainda é duvidoso. Os linfonodos regionais exercem uma função significativa ao agirem como barreiras anatômicas frente à disseminação sistêmica de células tumorais. Isso reflete na resposta imune do hospedeiro. A metástase linfática é o mecanismo mais importante no que diz respeito à disseminação de CECs de cabeça e pescoço e é também o principal indicador do estágio e do prognóstico da doença. Este trabalho tem como proposição verificar as alterações estruturais e morfológicas em linfonodos cervicais de pacientes com CEC oral e a sua relação como fator preditivo de metástase ou prognóstico. Esse estudo foi desenvolvido utilizando as seguintes bases de dados: SciELO, Pubmed, Google School, sem restrição de tempo e nos idiomas português e inglês. Com base nos dados obtidos, pode-se concluir que a morfologia linfonodal, contribuindo na estimativa do prognóstico, enfatiza a necessidade do diagnóstico precoce dos tumores. A avaliação imuno-morfológica de linfonodos cervicais pode servir como marcador substituto na previsão de metástases e sobrevida dos pacientes.


Texto completo:

Alterações estruturais

Apontamentos

  • Não há apontamentos.