Retratamento endodôntico em molar inferior com presença de canal mésio-medial: Relato de Caso

Roberta Wander Rosa, Júlia Monique Felix, Isadora Leão Machado de Campos, Daiane Nogueira, Rodrigo Antônio de Faria, Renata Pereira Georjutti

Resumo


A realização de um preparo que permita um acesso e uma limpeza adequada dos canais radiculares, e uma consequente obturação dos mesmos; são fatores que contribuem para o sucesso do tratamento. Para isso, o conhecimento da anatomia destes canais é imprescindível, tanto das normalidades como das diversas variações que esta anatomia pode oferecer. Os primeiros molares inferiores, possuem uma grande variação anatômica interna, sendo o dente que mais necessita de tratamento endodôntico. A possibilidade da existência de um canal extra na raiz mesial dos molares inferiores tem sido reportada na literatura sendo este canal chamado de mésio-medial. A localização deste conduto se dá entre o canal mésio-vestibular e o canal mésio-lingual, o que levou Vander Voorde et al. a denominá-lo de “canal mésio-central”. Especialmente para os casos em que há forame apical próprio, não detectar a presença do canal mésio-central pode determinar a falha da terapia endodôntica. O objetivo do presente trabalho foi a apresentação de um caso clínico no qual houve o tratamento do canal médio-mesial em um molar inferior, no qual foram localizados e tratados todos os canais, o que certamente contribuirá para o sucesso e bom prognóstico do tratamento como nos mostra as atuais proservações.


Texto completo:

Retratamento endodôntico

Apontamentos

  • Não há apontamentos.