REPERCUSSÕES DA LOMBALGIA EM ACADÊMICOS DO CURSO DE ODONTOLOGIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO - UNITRI

Valéria Sachi Magazoni, Marcos Alves de Lima, Lucas Heinrich Rodrigues NOGUEIRA,

Resumo


RESUMO

 

            Introdução: A lombalgia se apresenta como um conjunto de manifestações dolorosas, que acomete a região lombar, e dentre as suas causas, podem ser citadas as mecânicas degenerativas, onde se encontram as alterações estruturais, biomecânicas, vasculares ou a interação desses três fatores; e as causas não mecânicas, representadas por lombalgia inflamatória, neoplásica, infecciosa, metabólica, miofasciais e psicossomática. A forma mais comum de dor lombar em adultos jovens e atletas é a mecânico-postural. Objetivo: Avaliar a repercussão da dor lombar em acadêmicos do curso de Odontologia de um Instituição de Ensino Superior Privada. Metodologia: O estudo foi realizado em acadêmicos do curso de Odontologia de uma Instituição de Ensino Superior Privada, através da aplicação de um questionário (Índice de Incapacidade de Oswestry). Conclusão: Com o estudo foi possível observar que os alunos do último ano do curso de Odontologia são os mais acometidos pelos distúrbios musculoesqueléticos, os quais estão ligados a posturas inadequadas durante o atendimento.

 

Palavras chaves: Lombalgia, dor lombar, disfunções posturais

 


Texto completo:

REPERCUSSÕES DA LOMBALGIA

Referências


REFERÊNCIAS

Tramontim A,Cherem A,Marasciulo A Silva AP.Escola de postura: Opção de manejo das patologias da coluna vertebral na unidade SIASS. Florianópolis, 2013.

Silva JS, Mejia DPM. Avaliação e tratamento fisioterapeutico nas algias lombares. Faculdade Ávila. 2012.

Maia FES,et al. Perspectivas terapêuticas da fisioterapia em relação à dor lombar. Rev.Fac.Ciênc.Méd.Sorocaba,v.17,n.4,p.179-184,2015.

AlvesCP,Lima EA, Guimarães RB. Tratamento fisioterapeutico da lombalgia postural – estudo de caso. Revista Interfaces: Saúde, Humanas e Tecnologia, Vol. 2, Nº 6, fev 2015.

Nascimento PRC, Costa LOP. Prevalência da dor lombar no Brasil: uma revisão sistemática. Universidade Cidade de São Paulo, São Paulo, Brasil, jun 2015.

Machado RM, et al. Lombalgia em estagiários de fisioterapia da clínica escola da Universidade Salgado de Oliveira – Campus Goiânia. Cadernos de estudos e pesquisas. Vol.17 n°37. Jun 2013.

Chou L,et al.Patientsperceivedneedsofthehealthcareproviders for lowbackpain management: a systematicscopingreview. The SpineJournal (2018).

Sanchez HM, et al. Dor musculoesquelética em acadêmicos de odontologia (Muskuloskeletalpain in dental students).Med Trab.2015;13(1):23-30.

Yao M, et al. A systematicreviewofcross-cultural adaptationoftheOswestryDisability Index. SPINE Volume 41, Number 24, pp E1470–E1478 2016 WoltersKluwer Health, Inc. Allrightsreserved.

Falavigna A, et al.Instrumentos de avaliação clínica e funcional em cirurgia da coluna vertebral. Coluna/Columna. 2011; 10(1):62-7.

Silva AF,et al. Prevalência de Cervicalgia em Acadêmicos de Odontologia de um Centro Universitário. Revist. Port.: Saúde e Sociedade. 2017;2(2):422-434.

Santos RR. Desordens osteomuscular em alunos de alunos de odontologia. 2015 68f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Odontologia de Araçatuba, Araçatuba, 2015.

Rossato CE,et al. Sintomatologia dolorosa em acadêmicos de odontologia: estudo de caso. Saúde (Santa Maria), Santa Maria, Vol. 40, n. 2, Jul./Dez, p.35-42, 2014.

Coelho RF. Sintomas de DORT de acadêmicos de odontologia: uma contribuição para prevenção com ginástica laboral. Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, Dissertação (mestrado), 2013.

Frauches RG,et al. Incidência de lombalgia nos alunos do oitavo período do curso de odontologia da UNIG campus V e a sua real interferência na qualidade de vida. Acta BiomedicaBrasiliensia /Volume 2/ nº 1/Julho de 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.