PERFIL CLÍNICO DOS PRATICANTES DE EQUOTERAPIA NO CEDU- UBERLÂNDIA NO PERÍODO DE 2005 A 2010.

Valéria Sachi Magazoni, Marcos Alves de Lima, Natália Mariane Martins MORAES,

Resumo


RESUMO

Introdução: A equoterapia é um método terapêutico que utiliza o cavalo como instrumento de reabilitação e desenvolvimento para portadores de deficiência ou de necessidades especiais. Benefícios ocorrem devido ao movimento tridimensional  proporcionado pela andadura do cavalo. O deslocamento desse movimento tridimensional estimula diversos sistemas sensoriais, proporcionando benefícios psíquicos, o que leva a melhora do aprendizado gnósico-visual e auditivo, e favorece também o equilíbrio e a conscientização corporal do indivíduo com necessidades especiais levando ao estimulo e aprendizagem de atividades funcionais. Objetivo: Analisar do perfil dos praticantes do Centro de Equoterapia de Uberlândia- MG no período de 2005 a 2010. Metodologia: Foram analisados 30 prontuários dos praticantes do Centro de Equoterapia de Uberlândia no período de 2005 a 2010, sendo analisados; idade, gênero, diagnóstico e tempo de tratamento. Resultado: A atual pesquisa teve com  predomínio nos resultados a idade de 1 e 3 anos, sendo o sexo com maior praticantes o masculino, o diagnóstico mais encontrado foi o de paralisia Cerebral (PC) e o tempo de tratamento sendo 1 ano. Conclusão: Demonstra prevalência na idade de 1 e 3 anos, maior quantidade de praticantes do gênero masculino, o diagnostico mais frequentes o de paralisia cerebral (PC) e predomínio de 1 ano no tempo de tratamento.

              Palavra-chave: Equoterapia, Fisioterapia, Perfil.


Referências


-Leitão G.L. – Sobre equitação terapêutica: Uma abordagem Crítica. Análise Psicológica (2008), 1 (XXVI): 81-100.

-Rossini B.A., Lunkes R.B., Ferreira A.S. - Centro Equestre: Reabilitação e treinamento para o oeste catarinens – 2018.

-Barbosa G.O. – Efeito de um programa de equoterapia nos aspectos psicomotores de crianças com TDAH – São Carlos: UFS car,2013. 191f.

-Niehues J.R., Niehues M.R.- Equoterapia no Tratamento de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH): Implicações Pedagógica-doi:10.4181/RNC. 2014.22.902.6p.

-Souza M.B., Silva P.L.N. - Equoterapia no tratamento do transtorno do espectro autista: A percepção dos técnicos. Revista Ciência e Conhecimento Volume 9 – Nº1 – 2015- ISSN: 2177-3483.

-Barros J.E.S.L., Queiroz, C.M.B, Silva., L.M. Junior, A.T.O. Menezes, A.S.O.P. Ribeiro, A.S.C. Perfil dos praticantes do centro de equoterapia da instituição Pestalozzi da cidade de Maceió (AL). Cadernos de Graduação - Ciências Biológicas e da Saúde | Maceió | v. 1 | n.3 | p. 137-146 | nov. 2013.

-Marchizeli Pierobon, Juliana C.; Galetti, Fernanda Cristina: Estímulos sensórios- motores proporcionados ao praticante de equoterapia pelo cavalo ao passo durante a montaria. Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde, vol. XII, núm. 2, 2008, pp. 63-79.

–Moraes A.G. – Efeitos da prática de equoterapia no equilíbrio postural, funcionalidade e distribuição de pressão plantar em crianças com Paralisia Cerebral. - 2014

-Chaves LO, Almeida RJ. Os benefícios da equoterapia em crianças com Síndrome de Down. R. bras. Ci. e Mov 2018;26(2):153-159.

-Costa Lia Dias da1; Sturmer, Giovani²; Vidal, Laura³; Arruda, Aimê³; Iannerich, Edna Priscila³; Batista, Vinicius Dal Forno³- Os efeitos da equoterapia na reabilitação de pacientes com sequelas de Acidente Vascular Encefálico(AVE) - 2016

-Siegel S. Estatística não paramétrica, para as ciências do comportamento. Trad. Alfredo Alves de Farias. Ed. McGraw-Hill do Brasil. São Paulo, 1975. 350

-Romagnoli J.A.S. Oliveira, D.V. Antunes, M.D. Junior, J.R.A.N. Kempinsk, E.M.B.C. Equoterapia como método de tratamento fisioterapêutico. Rev. Ciências Biológicas e da Saúde, n° 22 (6). 24-32, 2016.

-Cardillo & Valdiviesso et al 2016- Revista Faculdade Montes Belos (FMB), v. 9, n° 2, 2016, p (73-141)


Apontamentos

  • Não há apontamentos.