AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DOS PACIENTES ATENDIDOS NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE DE INDIANÓPOLIS – MG ATRAVÉS DO QUESTIONÁRIO SF 36

Valéria Sachi Magazoni, Marcos Alves de Lima, Jessica da S. Borges AMARO,

Resumo


RESUMO

 

Introdução: A crescente preocupação com questões relacionadas à qualidade de vida vem de um movimento dentro das ciências humanas e biológicas no sentido de valorizar parâmetros mais amplos que o controle de sintomas, a diminuição da mortalidade ou o aumento da expectativa de vida. Objetivo: O objeto deste trabalho foi avaliar a qualidade de vida dos pacientes atendidos na Unidade Básica de Saúde do Município de Indianópolis, utilizando como instrumento o questionário SF 36. Metodologia: Tratou-se de um estudo qualitativo pautado na observação e aplicação do questionário SF36, foram aplicados 117 questionários aos pacientes atendidos na UBS Alex Fernandes em Indianópolis MG. Resultados: foram demonstrados os pontos obtidos pelos voluntários nos oito Domínios do Questionário de Qualidade de Vida SF-36, bem como os respectivos valores de médias e de desvios padrão. Conclusão Pode-se concluir com este estudo que, ao avaliar a qualidade de vida dos pacientes atendidos na Unidade Básica de Saúde do Município de Indianópolis, utilizando como instrumento o questionário SF 36, os resultados obtidos detectaram bons níveis de qualidade de vida na população, mas também apontou a necessidade de futuras análises principalmente nos domínios vitalidade e limitação por aspecto emocional.

 

Palavras chave: Qualidade de vida. Questionário SF-36. Pacientes


Referências


REFERÊNCIAS

PEREIRA, É. F. et al. Qualidade de vida: abordagens, conceitos e avaliação. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1807-55092012000200007>. Acesso em: 08, março 2018.

ALMEIDA, B. R. de. et al. Avaliação da qualidade de vida através do questionário SF36 em um grupo de idosos submetidos a fisioterapia em grupo. Disponível em: < https://www.researchgate.net/profile/Cid_Gomes/publication/281939611Avaliacao da qualidadede_vida_atraves_do_questionario_sf36_em_um_grupo_de_idosos_submetidos_a_fisioterapia_em_grupo/links/55ff44fc08ae07629e51d297/Avaliacao-da-qualidade-de-vida-atraves-do-questionario-sf36-em-um-grupo-de-idosossubmetidos-a-fisioterapia-em-grupo.pdf >. Acesso em: 02, março 2018.

DUARTE, F. M. et al. IMPORTÂNCIA DA FISIOTERAPIA NA PROMOÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA PARA OS IDOSOS. Disponível em: < http://fisioterapia.com/wp-content/uploads/2017/04/33-85-1-PB.pdf>. Acesso em: 06, março 2018.

PISSATTO, S. B. G. B. et al. Avaliação da qualidade da atenção básica nos municípios do Departamento Regional de Saúde de Sorocaba. https://repositorio.unesp.br/handle/11449/106050?show=full. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1807-55092012000200007>. Acesso em: 08, março 2018.

BOUSQUAT, A. et al. Atenção primária à saúde e coordenação do cuidado nas regiões de saúde: perspectiva de gestores e usuários. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2017, vol.22, n.4. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232017224.28632016>. Acesso em: 02, março 2018.

CAMPOS, R. T. O. et al. Avaliação da qualidade do acesso na atenção primária de uma grande cidade brasileira na perspectiva dos usuários. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v38nspe/0103-1104-sdeb-38-spe-0252.pdf>. Acesso em: 03, março 2018.

SAMOTO, A. K. Avaliação da qualidade dos serviços de Atenção Básica, segundo modelo de atenção, na Região de Saúde do Rio Pardo - SP. Disponível em: < http://www.saude.sp.gov.br/resources/instituto-de-saude/homepage/mestrado-profissional/ameliakeikosamoto-dissertacaocompleta.pdf>. Acesso em: 08, março 2018.

RAMOS, O. Al. Et al. QUALIDADE DE VIDA E HUMANIZAÇÃO EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE. Disponível em: < http://www.fabeemrevista.com.br/6/integra/04.pdf>. Acesso em: 02, março 2018.

PODESTÁ M.H M. C. Et al. QUALIDADE DE VIDA DOS USUÁRIOS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: PERFIL E FATORES QUE INTERFEREM. Disponível em: . Acesso em: 02, março 2018.

CASTRO. D. F. A. et al. Qualidade de vida e promoção da saúde: em foco as gestantes. Disponível em: Acesso em: 02, março 2018.

SIEGEL, S. Estatística não-paramétrica, para as ciências do comportamento. Trad. Alfredo Alves de Farias. Ed. McGraw-Hill do Brasil. São Paulo, 1975. 350 p.

Brasil, Ministério da Saúde (2012). Atenção Básica e a Saúde da Família. Recuperado em 17 de Janeiro de 2014, de http://dab.saude.gov.br/atencaobasica.php.

GRANER, E.A. Estatística. Ed. Melhoramentos. São Paulo, 1966. 184 p.

SOUZA LK, HUTZ CS. Relacionamentos pessoais e sociais: amizade em adultos. Psicol Estud 2008; 13(2):257-265.

ALMEIDA-BRASIL, Celline C. Qualidade de vida e características associadas: aplicação

do WHOQOL-BREF no contexto da Atenção Primária à Saúde. file:///C:/Users/Fam%C3%ADlia/Downloads/1413-8123-csc-22-05-1705.pdf> Acesso em: setembro de 2018.

GHOLAMI A. Application of WHOQOL-BREF in measuring quality of life in health-care staff. Int J Prev Med 2013; 4(7):809-817.

VIEIRA MCS, BOING L, MACHADO Z, GUIMARÃES ACA. Sintomas do envelhecimento masculino relacionados à atividade física e qualidade de vida: uma revisão sistemática. R. bras. Ci. e Mov 2017;25(1):183-198. In < http://docs.bvsalud.org/biblioref/2018/03/881119/sintomas-do-envelhecimento-masculino-relacionados-a-atividade-f_oKj5x6Y.pdf> Acesso em outubro de 2018.

CAMACHO, Alessandra C. Leite F. et al. Estudo comparativo sobre a capacidade funcional de pacientes adultos e idosos com úlceras venosas. Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal. J. res.: fundam. care online 2015. jan./mar. In < http://www.redalyc.org/html/5057/505750945019/> Acesso em outubro de 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.