INCIDÊNCIA DE LESÕES MUSCULOESQUELÉTICAS NA PRÁTICA DE YOGA EM UBERLÂNDIA

Valéria Sachi Magazoni, Silas Pereira de Rezende, Ana Carolina Martins Barros,

Resumo


RESUMO

Introdução: O Yoga é uma prática descrita inicialmente no livro de Patañjali, sendo que o mesmo tem como objetivo a harmonia da mente e respiração. Esta prática encurta as fases de regeneração, gera aumento da capacidade de concentração e equilíbrio mental, a expansão de habilidades condicionais como força, resistência e velocidade. Entretanto, alguns fatores que levam a pratica ter alto risco de lesões é quando não há a orientação correta, ambição ou excesso de confiança, na maioria dos casos. Objetivos: Comparar a incidência ou ausência de lesões ocorridas e correlacionar a incidência com o tempo de prática do Yoga em Uberlândia. Metodologia: Foi utilizado o Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares (QNSO) e o Questionário de Incidência de Lesões Musculoesqueléticas, aplicado após a prática e explicado previamente. Resultados: Ao todo participaram 148 praticantes de Yoga, sendo 32 (21,62%) do gênero masculino e 116 (78,38%) do gênero feminino. Foi aplicado o teste do Qui-Quadrado para verificar a incidência e a ausência de lesões, sendo que os valores mais elevados foram os relativos à ausência (29,95). Também foi encontrada correlação positiva, entre a incidência de lesões e o tempo de prática de Yoga (4,46%). Conclusão: A partir da metodologia utilizada pode-se concluir que o índice de lesão para a prática de Yoga em Uberlândia é baixo. No entanto, existe correlação positiva entre a incidência de lesões e o tempo de prática de Yoga.

Palavras chave: Yoga. Lesões musculoesqueléticas. Incidência.

                     


Texto completo:

INCIDÊNCIA DE LESÕES

Referências


MEGDA, F.; de MORAES, M. A. A. Incidência de lesões musculoesqueléticas na prática de ioga na região de Campinas. SAÚDE REV., Piracicaba, v. 17, n. 47, p. 23-30, set.- dez. 2017. Disponível em: . Acesso em 14 de agosto de 2018.

DEVEZA, A.C.R.S. Yoga e yogaterapia / Yoga and yogatherapy. Rev. Med. (São Paulo). 2013 jul.-set. 92(3):204-12. Disponível em: < http://www.revistas.usp.br/revistadc/article/view/80000/83920>. Acesso em 27 de agosto de 2018.

CASTRO, C. M.; Yoga e Doenças Crônicas: inovações no cuidado do câncer e diabetes. Dissertação (mestrado), Campinas, 2013. Disponível em: < http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/311413/1/Castro_CeciliaMuzettide_M.pdf >. Acesso em 18 de outubro de 2018.

STUTTGART, G.T.V.K.G. Yoga – Selten akute Verletzungen. Sportverletz Sportschaden; 2013; 27(02): 72-73; New York. Disponível em: < https://www.thieme-connect.com/DOI/DOI?10.1055/s-0033-1348100>. Acesso em 27 de agosto de 2018.

LE CORROLLER, T. et al. Musculoskeletal Injuries Related to Yoga: Imaging Observations. American Journal of Roentgenology, Vancouver, 2012. Disponível em: . Acesso em 18 de outubro de 2018

CRAMER, H.; et al. Injuries and other adverse events associated with yoga practice: Asystematic review of epidemiological studies. Journal of Science and Medicine in Sport 2017; Germany. Disponível em: . Acesso em 25 de agosto de 2018.

MANINCOR, M.; et al. Individualized Yoga for Reducing Depression and Anxiety, and Improving Well-Being: A Randomized Controlled Trial. Depress Anxiety 2016; Australia. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih,gov/m/pubmed/27030303. Acesso em 15 de junho de 2019.

SIEGEL, S. Estatística não paramétrica, para as ciências do comportamento. Trad. Alfredo Alves de Farias. Ed. McGraw-Hill do Brasil. São Paulo, 1975. 350 p.

SWAIN, T. A.; MCGWIN, G. Yoga-Related Injuries in the United States From 2001 to 2014. The Orthopaedic Journal of Sports Medicine 2016; Alabama. Disponível em: < https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/2325967116671703>. Acesso em 1 junho 2019.

SAPER, R. B.; et al. Yoga, Physical Therapy, or Education for Chronic Low Back Pain. Annals of Internal Medicine 2017; Californiaia. Disponível em: . Acesso em 1 de junho de 2019.

COWEN, V. S.; ADAMS, T.B. Physical and perceptual benefits of yoga asana practice: results of a pilot study. Journal of Bodywork and Movement Therapies 2005; Arizona. Disponível em: . Acesso em 15 de junho de 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.