Prevalência de Cefaleia Tipo Tensional Episódica Frequente em acadêmicos de Psicologia

Valéria Sachi Magazoni, Silas Pereira de Rezende, Murillo Henrique Durães NOGUEIRA,

Resumo


RESUMO

Introdução: A Cefaleia tipo tensional episódica frequente (CTTEF) como episódios frequentes de cefaleia, tipicamente bilateral, sentida como pressão ou aperto, de intensidade ligeira a moderada, durando de minutos a dias. A dor não piora com a atividade física de rotina, não se associa a náuseas, mas pode haver fotofobia ou fonofobia. Podendo implica em incapacidade, fracasso educacional e absenteísmo escolar, maior vulnerabilidade às comorbidades e prejuízo na qualidade de vida. Objetivo: Avaliar a prevalência de cefaleia do tipo tensional episódica frequente em acadêmicos do curso de Psicologia. Metodologia: Foram avaliados 156 alunos do curso de psicologia através do questionário para diagnóstico inicial das cefaleias primárias, desenvolvido baseado nos critérios propostos pela International Headache Society, terceira edição, 2014 (CIC, 2014). Resultados: Foram analisados 156 alunos do curso de Psicologia, onde 9 alunos apresentaram CTTEF, idade média de 34,12 anos onde apresentaram pelo menos 10 episódios de cefaleia em média nos 14 últimos a dias, com duração de no mínimo 30 minutos a 7 dias, além de relatarem a intensidade das crises, região bilateral da cabeça. Conclusão: Conclui-se que a cefaleia tipo tensional episódica frequente (CTTEF) é um tipo de cefaleia pouco prevalente entre o meio acadêmico no curso de psicologia. E observa-se uma predominância em relação a fonofobia e a dor moderada nos acadêmicos avaliados.

Palavras chave: Cefaleia tipo tensional , psicologia , midas, headache, CTTEF


Texto completo:

Prevalência de Cefaleia

Referências


REFERENCIAS

Pinto MEB, Wagner HL, Klafke A, Ramos A, Stein AT, Castro Filho ED, Pereira CF, Sarmento E. Cefaleias em Adultos na Atenção Primária à Saúde: Diagnóstico e Tratamento. Projeto Diretrizes; 2009.

Ferri-de-Barros JE, Alencar MJ, Berchielli LF, Castelha no Junior LC. Cefaleia em estudantes de medicina e psicologia. Arq. Neuro-Psiquiatr. São Paulo, 2011 jun;

Smith TR. Epidemiology and impact of headache: an overview. Prim Care Clin Office Pract 2004;31:237-241.

World Health Organization (WHO). Fact sheet: headache disorders. Genebra, 2016.

Classificação Internacional de Cefaleias - 3ª Edição beta - Tradução Portuguesa

FERNANDES, G.. Estudo da associação entre bruxismo do sono, disfunção temporomandibular e cefaleias primárias. 2011. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Odontologia de Araraquara; 2011

ERTAS ,M.; BAYKAN, B.; ORHAN, E. K.; ZARIFOGLU, M.; KARLI ,N.; SAIP, S.; ONAL , A. E.; SIVA, A. One-year prevalence and the impact of migraine and tension-type headache in Turkey: a nationwide home-based study in adults. J Headache Pain. v.13,p.147–15, 2012.

CHAIA, C. N,; PETERLINA, L. B.; CALHOUNB, H. A. Migraine and estrogen. Curr Opin Neurol. v.27, p. 315–324, 2014.

BRAGA, P. C.V.; SOUZA, L. A. F.; EVANGELISTA, R. A.; PEREIRA, L. V. Ocorrência e prejuízos da cefaleia em estudantes universitárias de enfermagem. Rev Esc Enferm USP. V.46, p 138-44,2012

SANTOS, L. A. S.; SANDIN, G. R.; SAKAE, T. M. Associação de cefaleia e ansiedade em estudantes de Medicina de uma universidade do sul de Santa Catarina. Revista da AMRIGS. v.54, p.288-293, 2010.

BUBLITZ, S.; GUIDO, L. A.; FREITAS, E. O.; LOPES, L. F. D.; Estresse em estudantes de enfermagem: uma revisão integrativa. Rev Enferm UFSM. V. 2, p. 530-538, 2012.

MENDES, M. R. P. et. al. Uso da terapia manual e do alongamento em indivíduos com cefaleia tensional. Linkania rev. cient., Mogi das Cruzes, vol. 1, n. 7, p. 102159, 2014.

OLIVEIRA, G. S. R.; SOUZA, P. A.; MARBACK, R. F. Influências da cefaleia no cotidiano de estudantes universitários. XV SEPA- Seminário Estudantil de Produção Acadêmica, UNIFACS, 2016.

LOPES, D. C. P.; FÜHRER, F. M-E. C.; AGUIAR, P. M. C. Cefaleia e qualidade de vida na graduação de medicina. Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria, Salvador, v.19, n.2, p.84-95, 2015.

KARLI, N.; BAYKAN, B. L.; ERTAS, M.; ZARIFOGLU, M.; SILVA, A.; SAIP, S.; ZKAYA, G. O. Impact sex hormonal changes on tension-type headache and migraine: a crosssectional population-based survey in 2,600 women. J Headache Pain. V.13, p.557-565, 2012

LIMA, K. R.; MAKHOUL, K. D. L. GUIMARÃES, E. A.; MAGAZONI, V. S.; CARDOSOFILHO.; G. M. Cefaleia tipo tensional episódica frequente em

acadêmicos do curso de fisioterapia. Revista Eletrônica da Reunião Anual de Ciência – E-RAC do Centro Universitário do Triângulo (Unitri), v.6, n.1, 2016.

Matta APC, Moreira Filho PF. Cefaléia do tipo tensional episódica: avaliação clínica de 50 pacientes. Arq Neuropsiquiatr. 2006.

Headache Classification Committee of the International Headache Society (IHS) The International Classification of Headache Disorders, 3rd edition (beta version), 2013.

VATHILAKIS, J.A.; MAKHOUL, K.D.L.; MAGAZONI, V.S.; FILHO, G.M.C. Cefaleia tensional crônica em acadêmicos do curso de fisioterapia. E-RAC, v.5, n.1, 2015.

CRUZ, M.C.; CRUZ, L.C.; CRUZ, M.C.C.; CAMARGO, R.P. Cefaleia do Tipo Tensional: revisão de literatura. Arch Health Invest, v.6, n.2, p. 53-58, 2017.

STALLBAUM, J. H.; ANTUNES, A. G. F.; KELLING, B. I.; FROEMMING, C.; POKULAT, G. S.; BRAZ, M. M. A inserção da fisioterapia no tratamento da cefaleia do tipo tensional: uma revisão sistemática. Revista do Departamento de Educação Física e Saúde e do Mestrado em Promoção da Saúde da Universidade de Santa Cruz do Sul/Unisc. Cinergis; v.14, n.3, p.172- 175, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.