ALTERAÇÕES MORFOLÓGICAS FACIAIS ASSOCIADAS A HÁBITOS DE SUCÇÃO DELETÉRIOS E USO DA TECNOLOGIA 3D NO DIAGNÓSTICO E PLANO DE TRATAMENTO.

Layane Antunes Tavares

Resumo


Tudo o que está no alcance dos bebês é colocado na boca no 4º ao 10º de vida, pois a sensação tátil dos lábios proporciona a exploração do seu meio ambiente. A sucção não nutritiva é representada pelo hábito de sucção digital, de chupeta ou de outro objeto e proporciona a criança sensação de calor, bem-estar, prazer, segurança e proteção. Tomando ciência de que os danos causados pelos hábitos orais deletérios podem ocasionar alterações na oclusão e no padrão facial, é necessário a intervenção odontológicas, fonoaudiologicas e psicólogicas, influenciando no tratamento para impedir o desenvolvimento e o crescimento de hábitos deléterios em crianças. A estratégia de conscientização por meio de atividades lúdicas é eficaz na eliminação de hábitos orais de sucção de dedo e chupeta em crianças. O processo auxilia as crianças a compreenderem as conseqüências da manutenção do hábito, e assim, sentiram estimulados a abandonar esse hábito. O sucesso do trabalho está relacionado com a colaboração e a participação dos pais e com conscientização adquirida pelas crianças.

Como as possibilidades atuais de diagnóstico e tratamento ortodôntico estão se tornando mais sofisticadas, a necessidade de registros 3D precisos dos pacientes se torna cada vez mais necessária e a introdução dos exames de imagem da tomografia computadorizada por feixe cônico (TCFC) tem proporcionado aos ortodontistas  uma mudança de paradigma com relação às possibilidades de diagnóstico por imagem, inclusive com potenciais alterações nos planejamentos dos tratamentos ortodônticos precoces, tratamentos ortodônticos corretivos e ortodôntico-cirúrgicos.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.